23 fevereiro 2009

Carnaval

Em São Paulo, no carnaval, não consigo deixar de me perguntar: Por quê (raios) não existe carnaval em São Paulo? Ou melhor, por quê São Paulo deixa de existir no carnaval? Andando de carro pelas ruas nesta tarde me vi numa cidade absolutamente desértica; portas fechadas, nem carro nem gente nem cães circulavam pelos cantos da hipermegalópole em pleno domingo de carnaval. Os paulistanos se mandaram, não sobrou nenhum folião para fazer a festa, nada de fantasia, tamborins ou confetes deram um colorido à cidade-cinzenta. Será que nem no carnaval, a maior orgia festeira do Brasil, o nosso ícone, aquilo que nos diferencia brasileiros do resto do Planeta, a cidade São Paulo consegue se divertir um pouquinho? Deixar de ser tão cinza e tão entediada? Vamos São Paulo! Vamos se fantasiar, vamos fingir por pelo menos quatro dias que não somos assim tão trabalhadores, tão atarefados, tão compromissados, tão terninhos e taiers! Vamos São Paulo! Vamos invadir a Paulista de peito de fora, vamos jogar serpentina no prédio do Itaú, vamos rebolar descalços na Faria Lima! Deixa de ser, São Paulo! Vistam suas máscaras! Secretárias, se transformem em vampiras, Margaridas, feiticeiras ou odaliscas! Executivos, vistam a roupinha de marinheiro e mandem tudo às favas! A gente pode, aqui sim, no Brasil, aqui pode tudo no carnaval. Resta-me (que tristeza) ligar a televisão e assistir ao desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, babar pelas mulatas cariocas que são tão mais mulatas que as paulistanas.

2 comentários:

zéza disse...

puxa, que caretice, né? são paulo apronta umas dessas quando a gente mais precisa de chuva suor e cerveja...

Daniel disse...

escrita rapida:

pra mim o carnaval era antes de tudo um feriado normal como todos os outros, ja a partir do próximo prometo que vou cair na folia.
nunca gostei mto de carnaval nem de festa junina..., mas acho que é pq só estive em festividades aqui em sp. ano que vem vo pra algum lugar que me faça gostar, ja to me guardando! recife?

me espantei quando fui pra argentina nesse ultimo agora. eu achava que essa história de foliar era exclusiva do brasil. azar o meu, pq o que eu vi la, numa cidade de interior toda folclorica, nao chegava aos pés dos daqui. Rolava uns "blocos" pelas ruas mas sem emoção nenhuma, as crianças fantasiadas salvaram algo, mas a musica era triste e a atmosfera era meio tensa. agora... nao rola mesmo rebolar descalço na faria lima, ou na paulista. aqui a gente é muito formiga.