17 novembro 2009

detalhes brilhantes na imensidão


Quando pousei na amazonia pela segunda vez, era o ocaso.
As nuvens dançavam entre os raios de luz e os rios abaixo eram inteiramente dourados como serpentes de ouro gigantes caminhando no meio da floresta...
quem já foi a esses 49 porcento de nosso país, a amazonia, sabe que a palavra "imenso" talvez só pudesse ser realmente sentida em sua raiz por lá, entre as paxiúbas, açaizeiros, buritis...

beijos de cupuaçu com tapereba
anita.

3 comentários:

Lucas disse...

Não veja a hora de ir p Belém e depois subir esse nosso Amazonas...
Se eu já acho a Serra do Mar imensa, imagine a Amazônia!

Onde vc ta, Anita?
Beijo

Chico disse...

Pô, que beleza!
Deve dar um certo medo pousar no meio do "nada', não?

Do equador eu só transladei de norte a sul, sem nunca estar nele próprio...

... disse...

Acabei de chegar no Rio de Janeiro, aliais, que amanheceu ainda mais maravilhoso com esse céu azul de passarinhso cantando...

A amazonia é algo que muda a vida de uma pessoa para sempre, então...não é medo que sinto... é maravilha de ser ainda tudo tão natural e possivel nesse mundo...

e eu tenho a sorte de conhecer as pessoas que dão a vida para defender tudo isso...medo eu sinto de perdermos tudo isso...

carinho
anita.