13 agosto 2009

Falando nisso, ouvindo nisso - JAZZ

Esse post de estréia da nossa nova companheira Natalia (bienvenida) se tratou de uma boa coincidência para mim. há tempos que quero postar algo sobre Jazz.
Passei a escutar esse ritmo (estilo, gênero, não sei como chamar) depois de começar a estudar música, foi quando descobri que não se tratava de um bicho tão difícil de se desfrutar. Em muitos casos, normalmente nas composições que mais adimiro ou que consigo assimilar alguma coisa, a simplicidade estrutural é marcante. Aqui um exemplo:

SO WHAT – Miles Davis Quintet

gravado em 2.4.1959 em New York com orquerstra do Gill Evans (click aqui para ver toda a apresentação)

antes de o miles começar o seu solo há uma introdução, nela fica facilmente percepitível atraves, por exemplo, da melodia do baixo, a "fórmula" da música. Ela pode ser representada assim: A A B A , sendo os dois primeiros "as" e o último "a" iguais e o "b" ligeiramente diferente – assim como são estruturadas as poesias quanto a rima ou métrica sabe?... essa estrutura se repete por toda a música, não muda nunca, como no blues!, sendo cada AABA chamado de um "chorus" (voce pode continuar cantarolando a melodia que faz o baixo no chorus de introdução durante o resto da música que vai sempre casar perfeitamente com o improviso dos caras, isso porque eles não se desconcentram e mantém a estrutura do inicio ao fim... repare na concentração estampada na face dos músicos, concentração é o segredo). Nessa apresentação o "roteiro" da música foi o seguinte... veja se consegue acompanhar:

1 chorus (aaba) - introdução Paul Chambers baixo +
2 chorus de solo do Miles Davis trompete +
2 chorus de solo do John Coltrane sax +
2 chorus de solo Wynton Kelly piano (repare que quando começa o segundo chorus desse solo o miles volta e faz comentários) +
2 chorus de solo do miles
1 chorus igual a introdução... daí pra acabar o baixista continua o tema, agora sem o "b", até acabar com uma triade maior... aqui vai:





Pode parecer difícil, mas não é tanto, basta a ficha cair, basta conseguir descobrir a duração de um chorus (córus)... o Jazz era musica popular, assim como o chorinho por aqui em brasilis!
...

olha aqui outra versão da mesma música, essa mais rapida e mais dificil de se compreender... Jazz - a mesma musica nunca igual... IMPROVISO



continua...

2 comentários:

Mayra disse...

Dani, que post bom! Parece até aquele programa da rádio Eldorado com o (seu xará) Daniel Daibem, o "Sala dos professores"! É muito bom ouvir música com essas conversas didáticas e apaixonadas pelo assunto. Beijo!

Daniel disse...

hehehe! sou amigo do daiben, e estudo na mesma escola q ele estudou! viva leive miranda !! q bom q gostou mayra! saudades bjs

grooveescolademusica.com.br