10 setembro 2009

ALERTA ELT

A Escola Livre de Teatro de Santo André (ELT), projeto artístico-pedagógico que se firmou como referência para a formação de atores no Brasil e que se aproxima agora dos seus 20 anos de enraizamento na cidade, acaba de ter seu coordenador, o ator Edgar Castro, sumariamente demitido.

Nesta sexta-feira, onze de setembro, artistas representantes dos principais coletivos de artes cênicas das cidades de Santo André e São Paulo - entre os confirmados as atrizes Maria Alice Vergueiro e Leona Cavalli, o ator Antônio Petrim, os diretores Francisco Medeiros e Cibele Forjaz - farão um ato público em prol da manutenção do projeto artístico-pedagógico original, que se encontra ameaçado.

Internacionalmente conhecida por seu projeto inovador desde sua fundação, em 1990, a ELT foi idealizada pela artista-pedagoga Maria Thaís Lima Santos, (hoje professora doutora da USP e coordenadora do TUSP), e coerentemente transformada pela experiência e pelos diversos mestres que passaram por ela tais como: Luis Alberto de Abreu Antonio Araújo, Tiche Vianna, Francisco Medeiros, Cacá Carvalho, Renata Zhaneta, Cibele Forjaz, Cláudia Schapira, Denise Weinberg, Sergio de Carvalho.

Da palavra "Livre" - presente no nome da Escola - emerge um campo pedagógico próprio, que pressupõe o conceito de deliberação coletiva, derivado do contínuo diálogo entre mestres, aprendizes e funcionários (constituintes legítimos da comunidade ELT), num processo de não-hierarquização, radicalmente contrário a imposições.

Desde o final do ano passado, após a eleição do atual prefeito Dr. Aidan Ravin, a comunidade da Escola Livre de Teatro tem se reunido para conhecer o projeto cultural para a cidade de Santo André. Em 28 de novembro, organizou um ato público, o Encontro Cultural da Cidade, quando se esperava como convidado principal Dr. Aidan Ravin. O então futuro prefeito não compareceu, mas fez-se presente através de seus assessores e do vereador recém eleito Gilberto do Primavera, que firmou publicamente seu compromisso com a cultura da cidade e com a manutenção do projeto original da ELT.

No entanto, como primeira medida, designaram para escola uma nova coordenadora não pertencente ao quadro de mestres e desconhecedora do projeto em curso. Em assembléia geral da escola, em 3 de fevereiro de 2009, com a presença de toda comunidade ELT e da coordenadora, o atual Secretário de Cultura, sr. Edson Salvo Melo, não só reiterou a continuidade do projeto artístico-pedagógico como também acenou a reforma física do prédio da ELT, readequando o espaço para as atuais necessidades da escola.

Passados oito meses da nova gestão, de contínuas tentativas de diálogo entre a comunidade, a coordenadora sra. Eliana Gonçalves e os funcionários também recém transferidos para a escola, encontros mediados pelo coordenador Edgar Castro (mestre da escola há 11 anos), fomos surpreendidos por esta repentina demissão feita pelo diretor de cultura Sr. Pedro Botaro no dia oito de setembro.

No ato público os artistas entregarão uma carta ao Secretário de Cultura, Esporte, Lazer e Turismo, sr. Edson Salvo Melo. A idéia é pedir que se reveja a demissão de Edgar Castro - escolhido democraticamente pela comunidade escolar e com ampla aderência de todos - e a que se possa dialogar sobre a presença da sra. Eliana Gonçalves.

A concentração para o ato será às 14h em frente à ELT:
Praça Rui Barbosa s/ nº, bairro Santa Terezinha, Santo André.
Segue em passeata até o Paço Municipal de Santo André.

Os interessados também poderão participar do movimento que reivindica a manutenção do projeto pelo blog: http://www.movimentolivre-sa.blogspot.com/

Assessoria de imprensa:

Carolina Splendore Cameron carolsplendore@gmail.com
Tel. 3705-0741 / 8144-8350

Mariana França mari_arcadia@yahoo.com.br
Tel. 8216-2683

http://www.youtube.com/watch?v=DYxK8cbCSiY

Um comentário:

sofia disse...

Quem puder participar, será maravilhoso e imprescindível a ajuda de todos. Precisamos de muita muita força neste momento. A Escola Livre é um projeto VERDADEIRAMANTE DEMOCRÁTICO E TRANSFORMADOR. Eu sei. Eu passei por ela. E nunca mais serei a mesma.Lá se faz arte. Sabe arte? Arte de verdade? Lá se aprende arte com artistas, mestres do fazer, da prática, da vida.A Escola, antes deste novo prefeito assumir, tinha projetos de ser mantida por uma autogestão. Aprendizes e mestres, JUNTOS, DECIDEM OS RUMOS DA ESCOLA. Lá não existe um currículo fixo. Lá não temos nenhum tipo de vínculo com o MEC. Lá, o aprendizado vem na medida da NECESSIDADE de cada grupo, cada coletivo. O projeto ELT é um projeto absolutamente inovador e RADICAL, que funciona como tal na PRÁTICA e não apenas na teoria, como vemos em muitos lugares. A Escola Livre é verdadeiramente democrática, não pagamos mensalidade, não somos selecionados por um vestibular imbecil, a escola tem as portas abertas até para quem não sabe ler, porque lá se investe verdadeiramente nos seres humanos. O que esse Secretário de Cultura está querendo fazer pode DESTRUIR tudo o que a Escola e seus pensadores maravilhosos (dentre eles, Cacá Carvalho, Tiche Vianna, Antonio Araújo, Celso Frateschi, Maria Thaís, Edgar Castro, Rogério Toscano, Georgette Fadel, Cibele Forjaz, Luís Alberto de Abreu, Alexandre Matte, Kil Abreu, Lucyenne Guedes, Chiquinho Medeiros - apenas OS CARAS do teatro, hoje) desenvolveram ao longo deste vinte anos de existência. É inconcebível pensar num governo interferindo desta maneira na ELT. Ela nasceu livre assim deverá permanecer, pois só assim é que ela se desenvolve.
A Escola Livre é algo vivo e pulsante. E agora querm assassiná-la. Não podemos deixar que isso aconteça. Participem. Participem. Participem.